segunda-feira, março 22, 2010

Novo método de recrutamento.


Recebi há pouco um telefonema um pouco surreal. Telefonou-me uma senhora (dizendo que era do Departamento de Recursos Humanos da empresa X, da qual não vale a pena dizer o nome), a perguntar se havia algum desempregado em casa, pois estavam em processo de recrutamento. Eu disse que eu estava desempregada, para ver que raio de conversa era aquela. Afinal de contas nunca tinha visto um modo de contacto para recrutamento tão sui generis.

A dita senhora disse que estavam a recrutar pessoas para as àreas X,Y e Z e que para tal bastava ter os seguintes requisitos: disponibilidade, habilitações ao nível do 9º ano e carta de condução. Perguntou-me se os tinha, eu disse que sim, e depois se estaria diponível para uma entrevista amanhã. Eu disse que não. Lá insistiu e pediu-me para deixar o meu nome e número de telemóvel para futuros contactos, caso surgissem mais oportunidades. Como é óbvio não forneci quaisquer informações a meu respeito.

Não sei porquê mas aquilo cheirou-me a "gato escondido com o rabo de fora", a "marosca". Desde quando é que as empresas ligam para casa das pessoas a perguntar se há desempregados naquele núcleo familiar e a convidá-los para uma entrevista, etc e tal?

A minha mente lá começou a funcionar, com a imaginação a dar o máximo, e lá me imaginei a ser raptada para algum lado, a ser alvo de alguma experiência macabra, ou a assinar algum contrato, que não era nenhum contrato, mas antes um crédito qualquer e depois vinham-me aqui a casa penhorar as coisas.

17 comentários:

Miss Apuros disse...

É mesmo caso para desconfiar :s

Lia disse...

nunca tal tinha ouvido... é de desconfiar, ai é, é!

Anne disse...

essas coisas são complicadas. talvez até fosse oferta de emprego mas na volta para call centers ou trabalho precário... :/ fizeste bem em não dar os teus dados. ainda iam parar à base de dados de alguma empresa e depois era só publicidade... :/

Maria disse...

Respondendo à menina Anne, desde quando ser call center é um trabalho menos digno ou até precário, deve ser melhor do que estar em casa a olhar para o tecto, não?

Magdix disse...

Realmente foi uma abordagem um pouco estranha... Não me digas que foi a empresa Visisucesso? Esta empresa também é conhecida por muitas trapalhadas... Lol.
*

Aninhas disse...

Miss Apuros...

Eu cá fiquei desconfiada.

Bjx

****

Lia...

Eu também acho que sim :s

Bjx

****

Anne...

Pois, não sei :s O que achei estranho foi o método de abordagem.

Bjx

****

Maria...

A Anne não disse que ser call center era um trabalho indigno, nem muito menos disse que era precário. O que ela disse foi "talvez até fosse oferta de emprego mas na volta para call centers ou trabalho precário", e não "talvez até fosse oferta de emprego mas na volta para call center que é um trabalho precário". Utilizou ali o OU... Fez a indicação de uma coisa alternativa. São duas coisas distintas...

Bjx

Olhos Dourados disse...

Isso é estranho. Talvez tenham arranjado o teu contacto numa base de dados de alguma empresa para a qual tenhas concorrido. Uma vez também me telefonaram de uma empresa para a qual eu nunca tinha concorrido, mas já tinha concorrido para aquele posto para outras empresas, e eles tinham lá ido buscar o meu contacto. Fui à entrevista porque conhecia a empresa em questão. Depois acabei por não aceitar o emprego porque era para muito longe.

Sempre podes pesquisar sobre a empresa, se realmente é fidedigna ou se não vale a pena.

Anne disse...

desculpe Maria, mas eu já gtrabalhei num e sei por experiência própria que não é um trabalho com princípios. desde quando incomodar dezenas de famílias a todas as horas com promessas e publicidade enganadora é digno???
ou enganar pessoas idosas como os maus encarregados nos incentivavam a fazer. nem um mês estive lá. Não há nada que justifique este tipo de trabalho que só serve para enganar as pessoas. e call center é diferente de um centro de assistência a serviços que um cliente adquira. falo naquelas pessoas que nos ligam sem cessar a "oferecer" tudo e mais alguma coisa e não param ainda que lhes digamos que não estamos interessados. só num mês sou capaz de receber 5 telefonemas de um certo banco.

prefiro ir lavar escadas. isso sim é um trabalho digno pois não incomodo ninguém.e se não arranjar mesmo mais nada é isso que faço. o trabalho não me assusta mas a desonestidade sim.

Anne disse...

Aninhas, ainda bem que reparaste no "ou". se calhar para a próxima tenho de pôr em letras maiúsculas ou em bold!!!!

:P

Aninhas disse...

Magdix...

Não, não foi essa :p

Bjx

****

Olhos Dourados...

O problema é que telefonaram-me para casa e não perguntaram especificamente por mim. Somente se tinha algum desempregado em casa. O que achei estranho...

Eles deram o nome de uma empresa que realmente existe, mas com tantas falcatruas que há por aí, é sempre de desconfiar. Principalmente quando nos telefonam para casa a "perguntar" se queremos emprego.

Bjx

****

Anne...

Olha que a mim já me telefonaram um sem número de vezes da Zon e sei lá mais do quê a perguntar se queria aderir a isto ou aquilo. Já dissemos mais de mil vezes que não, mas eles insistem.

Com tanto programador informático por aí será que não nenhum que invente um programa, para call centers, onde se insira os números de telefones de pessoas que não estão interessadas no serviço, de forma a que, numa próxima vez, caso o mesmo número seja marcado, a chamada seja barrada??? Isso é que era bom... Marcavam e aparecia a mensagem "Esta residência não está interessada no serviço."

É que chateiam e depois telefonam a cada hora mais imprópria... Até pode haver alguns que fazem um trabalho sério, mas outros...

Bjx

P.S.- Em relação ao OU... É que eu quando leio, leio mesmo, para perceber o significado do que está escrito. É que se falha uma palavra ou um simples OU a frase pode logo ficar distorcida. Todas as pessoas deviam fazer o mesmo...

É que já muitos comentários por esta blogosfera a fora sem pés nem cabeça, pois quem comentou de certeza que não leu o post como deve ser.

Anne disse...

o problema é que a eles não interessam saber se as pessoas querem ou não. penso que tentam vencer pelo cansaço.... o pior mesmo é quando o fazem com pessoas que são ingénuas e nada sabem deste tipo de entidades...
muitas vezes quem trabalha nesses sítios fá-lo por última necessidade. aposto que 90% detesta trabalhar nesses sítios porque sabem que não é um bom emprego. eu detestava...

Maria disse...

Parece que a menina Anne não deve saber bem o que é ser call-center, por acaso já pensou em call-center que só contactam empresas para fazer uma troca de serviços? Ou para si call-center são só aqueles que ligam durante o dia para casa das pessoas a dizer isto ou aquilo? Enfim... Se trabalhou nessa área deveria saber que call center não são só aqueles que ligam para casas particulares, também há call center que ligam só para empresas.

Aninhas disse...

Anne...

Eu tinha uma amiga que trabalhou num e detestava também...

Bjx

Anne disse...

Maria dispenso esse tipo de tratamento. até posso ser menina mas esse "menina" foi condescendente. e desculpe mas eu falo por experiência própria. e tenho todo o direito a ter uma opinião própria, não? É que pelo seu comentário parece que é difícil.

e sim, para mim call-center's como são conhecidos apenas visam vender os seus produtos, ou de outrém a particulares e não empresas.

Anne disse...

aninhas desculpa lá a chatice mas à certas coisas que me tiram do sério. e má educação velada é uma delas. ironia e cinismo não suporto. beijos.

Anne disse...

ahhh e Maria, se ler bem os meus comentários verá que falo nos call centers QUE SERVEM APENAS PARA PUBLICITAR E INCOMODAR AS PESSOAS. mas como já no meu 1o comentário não se deu ao trabalho de o ler correctamente provavelmente não o fará desta vez.

Aninhas disse...

Anne...

Não tens nada que pedir desculpa linda :) Eu estava para responder, mas como sei que tu és bem capaz de responder por ti própria... :P

E confesso que aquele "a menina Anne" também me soava assim um pouco estranho, quase a tocar o insulto, pois na escrita denota-se assim um tom estranho...

Bjx