terça-feira, maio 11, 2010

Give a little respect...



Há uma frase, ou melhor, um ensinamento que nos incutem desde pequenos que me fez sempre muita confusão, que é "devemos sempre respeitar os nossos pais". Não comecem já a arregalar os olhos e a querer apedrejar-me ou coisa que o valha, pois eu vou explicar o porquê do estranhamento que aquela frase me causa.

Eu respeito a minha mãe, e muito. Ela lutou e trabalhou muito para ter aquilo que tem. Lutou para manter um casamento por minha causa, porque eu lhe pedia. (Claro que depois chegou o dia em que eu via que não dava mais e apoiem 100% a decisão da minha mãe se divorciar.) Sempre lutou para me dar uma boa vida. Sempre lutou para me dar o curso. Sempre lutou para que nada de essencial me faltasse. Sempre tentou transmitir-me bons valores e ideias. Sempre me tentou alertar quando via que eu ia fazer um disparate. Sempre me tentou proteger-me de tudo. Respeito a minha mãe. Damo-nos 100% bem? É claro que não. Temos as nossas quezílias, como todas as pessoas, como todas as mães e filhas. Discutimos por isto ou por aquilo. Ou porque ela é chata, ou porque eu sou chata. Ou porque ela está de mau-humor, ou porque eu estou de mau-humor. Mas respeito-a e respeito, principalmente, todo o esforço que ela fez para me criar e que continua a fazer.

Mas e o meu pai? Respeito-o? Não, de todo mesmo. Não consigo respeitar alguém que não respeitou a minha mãe, que não me respeitou a mim. Não consigo respeitar alguém que traiu, que enganou, que mentiu, que aldrabou, que "roubou", que chantageou, que se vitimizou. Alguém que não nunca cuidou de mim. Alguém que nunca cumpriu as promessas que fez, por mais pequenas que fossem. Alguém que nunca me transmitiu quaisquer valores (valores correctos pelo menos). Alguém para quem eu era só um meio para alcançar um fim. Alguém que me usava para ver/estar com a minha mãe novamente. Alguém que traiu a minha confiança. Alguém que ia estragando a minha vida, se eu não tivesse tomado decisões drásticas. Alguém que só contribuiu com espermatozóides e nada mais. Alguém que não foi pai, na verdadeira acepção da palavra. Não dá para respeitar uma pessoa assim! Simplesmente não dá!

Sempre ouvi dizer que "o respeito não se impõe, conquista-se", com actos, palavras, atitudes. Sempre ouvi dizer que "só se deve respeitar quem nos respeita a nós". E isso equivale para todas as pessoas, sejam os laços que nos unem de amizade ou mesmo familiares.

Por uma criança no mundo, ou ajudar a concebê-la, não basta. Se queremos respeito dos nossos filhos temos que criá-los com amor e carinho. Temos que ter o pulso firme, mas carinhoso. Temos que saber dizer não, mas dizê-lo com amor. Temos que transmitir bons valores e ideias.

Por exemplo, o filme Precious. Eu ainda não vi, mas conheço a história. O pai dela só ia a casa para buscar dinheiro e para violar a filha. A mãe consentia, e parece que muitas vezes ajuda e assistia, estas violações. Esta mesma mãe insultava a filha, batia-lhe. Como pode um filho respeitar pais destes? Simplesmente, não pode. É impossível.

"Respeito é o apreço por uma pessoa, qualidade pessoal ou talento." Por isso, se queremos que nos respeitem, temos de merecer esse mesmo respeito e de respeitar também.

11 comentários:

ESpeCiaLmente GaSPaS disse...

"o respeito não se impõe, conquista-se" ... concordo plenamente.
E só devemos respeitar que nos respeita.

Aninhas disse...

ESpeCiaLmente GaSPaS ...

Exacto. Eu, pelo menos, não consigo respeitar quem não me respeita a mim e aos meus.

Bjx

Suspiro disse...

E eu espero um dia ouvir essas palavras todas da minha princesa!

Aninhas disse...

Suspiro...

E hás-de ouvir. :)

Bjx

Saga disse...

Concordo. Lá por termos familiares não significa que os devemos respeitar se não forem merecedores de tal. É preciso que se dêem ao respeito e, no teu caso, o teu pai não fez por o conquistar.

**

Aninhas disse...

Saga...

Não fez não!!!

Bjx

Lia disse...

o sangue, ou genes partilhados, não têm nada a ver com respeito, nada mesmo!

Aninhas disse...

Lia...

Pois não. Até porque, às vezes, a família é a primeira a apunhalar-nos elas costas.

Bjx

*C*inderela disse...

COncordo, para respeitar-mos têm que se dar ao respeito.

Bjokas ****

Aninhas disse...

*C*inderela...

E mais nada. :)

Bjx

Olhos Dourados disse...

Pois é. Lamento que não tenhas tido um pai a sério.