sexta-feira, junho 11, 2010

A vida está difícil... Tssss...


Está difícil a minha mãe perceber que não quero cunhas. Está difícil ela entender que, eu arranjar emprego por mim mesma, é uma questão de orgulho. Está, está! Quero saber que estou naquele cargo porque mereço, porque fui a melhor e passei na entrevista ou provas de recrutamento com mérito. Quero andar pelas minhas próprias pernas.

Podia conseguir um trabalho por cunha e depois provar que mereço estar ali? Poder até podia, mas acho não ia ser a mesma coisa. Ia continuar a sentir aquele gostinho amargo que me dizia que tinha entrado ali porque sou filha de fulano ou beltrano. Não quero isso. Quero que a minha vitória seja limpa, 100% limpa. Quero ser eu, sozinha, a cortar a meta. Quero ser eu, sozinha, a chegar ao topo da escada.

Mas a coisa está negra neste país para conseguir algo sem cunhas? Pois está, eu sei. Não sou parva, nem ceguinha, graças a Deus. Não me chamo Alice e nem vivo no País das Maravilhas. Não penso que o mundo é cor-de-rosa. Mas, já pessoas me passaram à frente, em muitas ofertas de emprego, pelo simples facto de conhecerem fulano ou beltrano daquela empresa/instituição. E, sinceramente, não gostei da sensação. É horrível vermos alguém ficar num cargo (que nós queriamos muito) para o qual sabemos que não tem perfil, não tem genica, conhecimentos (mesmo que teóricos). Um cargo que podia ser nosso, se as coisas fossem feitas de maneira justa e honesta. Sentimos a crescer dentro de nós um desanimo tão grande, misturado com um sentimento de injustiça e revolta, que só nos apetece ir áquela empresa, irromper pelas salas adentro e dizer umas quantas caralhadas em alto e bom som. Já senti isso na pele várias vezes e não gostei. E como não gostei não quero ser eu a causadora de uma tristeza igual noutra pessoa, mesmo que não a conheça de lado nenhum.

É certo ou errado ser assim? Não sei! Serei assim sempre? Não sei.

9 comentários:

Denise Luz disse...

É muito injusto realmente!

Mas não seria melhor aceitar um emprego por cunha só para não estar em casa sem fazer nada e sem ganhar?

Hoje em dia as pessoas só pensam em se desenrascarem, mesmo que tenham de pisar os outros...

bjinho

Aninhas disse...

Denise Luz...

Aí é que reside o problema do mundo: as pessoas não se importarem uma com as outras e não se importarem se pisam alguém para conseguirem aquilo que querem.

Eu não sou assim.

Bjx

Suspiro disse...

Estás a pensar de uma maneira demasiado correcta! E se todos pensassem assim tudo seria diferente! Mas não é assim, sabes bem. Não vivemos nesse mundo!

Aninhas disse...

Suspiro...

Pois, infelizmente o mundo onde vivemos é bem diferente.

Bjx

Saga disse...

Quanto a mim, tu estás correcta. Devemos atingir algo pelo nosso próprio mérito. Eu também preferia arranjar um emprego porque tenho qualidade para tal, em vez de me ser feito um arranjinho.
Agora, se o conseguirás e se pensarás sempre dessa forma, sinceramente não sei.

**

Anne disse...

Olha Aninhas, sabes o que te digo? por mais que não te sintas à vontade vais chegar a um ponto que vais perceber que a vida é o que fazes com as oportunidades que se apresentam à sua frente ou com as oportunidades que procuras. ficares com um trabalho devido a uma cunha acaba por não ser assim tão mau se te empenhares no teu trabalho, se realmente levares as coisas a sério em vez de te deixares ficar num canto a aproveitar o tacho que te arranjaram.
já te disse uma vez, não vou hesitar se me conseguirem arranjar um trabalho seja pelas vias que forem, porque sei que me vou empenhar e ser profissional. não posso é acabar o curso e ficar sem trabalhar porque tenho uma filha para criar.
e acho, é só a minha opinião, que vais chegar a um ponto em que vais perceber que não interessa como arranjamos as oportunidades mas sim o que fazemos com elas...
beijos

Aninhas disse...

Saga...

O tempo dirá se continuarei a manter viva esta crença, por assim dizer.

Bjx

****

Anne...

Eu não critico que arranjiou um trabalho por cunha. Cada um sabe de si, e com trabalho e esforço é-se capaz de provar que, apesar de ter entrado ali por cunha, merece estar naquele cargo.

Mas eu quero arranjar algo por mim percebes? Quero gritar vitória... Uma vitória que eu consegui sozinha.

Bjx

Ana disse...

Aninhas, deixa-me ser o mais sincera contigo em relação a este assunto. Se há coisa que vais aprender ao longo da tua vida, é que no mundo do trabalho, ninguém está preocupado com ninguém (salvo raríssimas excepções). Ninguém te vai respeitar mais ou dar mais valor por conseguires um emprego por mérito próprio. E por mais que tu digas que te sentes melhor assim, a verdade é que as oportunidades vão sempre chegar primeiro àqueles que aproveitam uma cunha, e são eles que vão lá estar primeiro.
No fundo, o que interessa é entrar, seja de que forma for, e uma vez lá dentro poderás então provar as tuas capacidades.
Eu entendo a questão do orgulho próprio - também o senti quando tinha a tua idade e pensava da mesma forma - mas depois de levarmos "pancada" de todos os lados nesta selva que é o mercado de trabalho, e depois de vermos que de nada nos vale querermos que tudo seja perfeito e correcto, pomos de parte esse orgulho e começamos a aproveitar as oportunidades que (tão dificilmente) nos surgem.

E acredita, podes não querer causar essa tristeza a quem fica de fora se tu aceitares uma cunha, mas essa mesma pessoa não vai pensar em ti se a oportunidade lhe surgir primeiro. E tu tens de pensar é no teu futuro, certo?

beijinhos

Aninhas disse...

Ana...

Eu sei que tens razão, que tenho que pensar no meu futuro... Mas custa-me entendes?

Bjx