quarta-feira, janeiro 26, 2011

Do preconceito...


Millicent Gaika foi amarrada e violada durante cinco horas por um homem que queria "curá-la" do lesbianismo com uma "violação corretiva". O que fez a justiça?

A justiça não fez nada. Millicent Gaika sobreviveu após cinco horas de tortura com "violação corretiva", mas a mesma sorte não tiveram muitas outras mulheres: a verdade é que na África do Sul as lésbicas vivem aterrorizadas pela sombra de um possível ataque com o intuito de "corrigir", da forma mais brutal, a sua orientação sexual. [...]
 
Embora o crime de "violação corretiva" já seja conhecido e até mesmo levado a tribunal, garantem os ativistas que nunca ninguém foi condenado. E não porque a maioria das vítimas seja mulheres que vivem no limiar da pobreza: em 2008, Eudy Simolane, um dos ícones do futebol feminino sul africano, foi violada e assassinada após revelar que era lésbica e tornar-se voz forte na defesa do movimento LGBT. [...]»

[In A Vida de Saltos Altos, Expresso]

A (des)Humanidade no seu pior...


12 comentários:

Doce disse...

Qual humanidade???? Fiquei em choque!

Artemisa disse...

Doce...

Ficaste tu e fiquei eu depois de ler.

Bjs

Nokas disse...

Mas está tudo doido??

Artemisa disse...

Nokas...

Tudo não sei, mas quem faz isto está de certeza.

Bjs

Palavra Já Perdida disse...

A ele é que lhe deviam fazer uma correcção ao cérebro e a uma certa partr traseira...
Dass fico estupida !!

Artemisa disse...

Palavra Já Perdida...

Uma correcção à parte traseira não. Era mesmo na parte frontal...

Bjs

Joy disse...

Que horror! As pessoas são tão más, isto é tão chocante :(

Artemisa disse...

Joy...

Isto ultrapassa a fasquia de pessoa má.

Bjs

Mia disse...

Nem tenho palavras para isto ... é vergonhoso! É nestas alturas que tenho vergonha de pertencer a esta espécie!

Artemisa disse...

Mia...

Pois, és tu e eu!

Bjs

Julie disse...

Que horror!!

Mas em que mundo vivemos?!

Quadrada disse...

Estou chocada.