terça-feira, janeiro 11, 2011

Como enganar meia dúzia de gente (ou mais)...


Aquela coisa do sabonete líquido Dettol No-Touch dá-me a volta ao sistema nervoso, apoquenta-me mesmo. A ideia de aquilo ter um detector que sente a presença das nossas mãozinhas é muito à frente. O objectivo é não ter que carregar na bombinha para sair o sabonete líquido, pois a mesma pode estar cheia de germes e, por conseguinte, "contaminar" as mãos.

Eu pergunto: mas para que é que aquela porcaria serve afinal? A bombinha até pode ter germes, mas não se vai lavar as mãos depois? Pronto, foram-se os germes... Para quê o No-Touch? É só uma maneira de nos sacarem uns belos 10 euros do bolso.

5 comentários:

Bé* disse...

Mais uma estratégia de marketing!

Sílvia* disse...

Tens toda a razão.
É uma estupidez. Isso e aquelas regras de colocar gel desinfectante nas mãos à entrada de certos edifícios mas carregar no frasco com o cotovelo(?) ou, a propósito da gripe A, espirrar para a manga do casaco.. São coisas que parece que ninguém pensou bem no que estava a dizer...

Cherry disse...

Realmente isso não faz qualquer sentido e o que faz menos sentido é o raio do preço que isso custa!!!

Fresco_e_Fofo disse...

Já tinha pensado nisso. O problema dos germes pode levantar-se em relação à torneira. O pessoal abre a torneira com as mão sujas e fecha-a com as mãos lavadas e volta a ficar com os germes. Agora no sabonete, é "mêmo" para sacar uns trocos loool.

Está bem assim? Gostas do estilo? eheheh

Bjs.

Anónimo disse...

Também me faz lembrar o celebre Amukina. Ondem pedem para as pessoas pagarem um dinheirão por lixivia diluida.