quarta-feira, janeiro 19, 2011

Se é assim mais valia darem o lugar a alguém mais competente...


Os carteiros aqui da minha zona têm um de dois problemas: ou são mudos ou têm algum problema nas pernas. [Se bem que também há a possibilidade de padecerem de ambos os males.]

A minha casa, como muitas outras aqui, não tem campainha no portão. Logo, é necessário que o carteiro nos chame caso seja necessário assinar alguma coisa. Ou que suba as escadas e bata à porta. Mas acham que eles fazem isso? Não, que isso dá muito trabalho. É preciso poupar a voz, que as pastilhas da farmácia são caras, e as pernas também, pois subir meia dúzia de degraus custa muito e esforçar os músculos pode ser perigoso. Ainda rompem um tendão ou magoam o dedo mindinho do pé e depois é o drama, o horror, a tragédia pois tem que meter baixa.

Depois há aqueles que preferem código Morse, que é como quem diz, buzinam para uma pessoa lá ir fora. E eu que decifre aquilo... Eu até sou perita em código Morse... É isso e sinais de fumo. Aprendi com índios americanos quando lá fui caçar veados nas férias de Verão. Eu que adivinhe que aquela buzinadela é para mim. Eu que adivinhe que é o carteiro que está lá fora e tem correspondência para me entregar. Pois, eu até sou médiun e tudo...

Tanta gente competente desempregada e depois estão estes camafeus a ocupar espaço.

4 comentários:

O Momento Perfeito disse...

Pois, eles só fazem isso porque já estão no serviço à muito tempo então pensam que tem a vida garantida, até ao dia que são despedidos. Os carteiros tem mesmo fama de serem preguiçosos! e são!

Anónimo disse...

E viva o "ressabiamento" por esses lados. Credo..

E pôr uma campainha no portão, não? Ai não, que fica caro. Não que ainda esforça os músculos das pernas a ir à loja comprar uma. Upa Upa.
Sr. carteiro, chame mas é por mim aos gritos da rua que toda a gente gosta de fazer figurinhas tristes. Ou, olhe, suba as escadinhas que não lhe custa nada. Se todas forem como eu só tem de o fazer umas trezentas vezes todos os dias.
E então? É pago, é para trabalhar. Afinal vivemos numa aldeiazinha lá bem do interior do país. Olhe, bata palmas sr. Carteiro. Porque não?

Pff, idiota.

Joana

Palavra Já Perdida disse...

Buzinar??
Eh lá, que modernices possas !!!!
Por acaso os da minha zona até são eficazes. Tanto na central como na rua. Onde trabalho ehhh .. os da central são uma simpatia e têm sempre um sorriso na cara. A da rua é de luas, às vezes olha feita croma e nem sorri... Enfim !

Artemisa disse...

Anónima...

Ponto 1. Aqui não há ressabiamento nenhum... Os carteiros aqui são assim, e já não é a primeira vez que isto acontece e não é só a mim. Se as coisas funcionam bem para os seus lados tanto melhor.

Ponto 2. Colocar uma campainha no portão? Se fica caro! É capaz de ficar, porque a minha é uma casa antiga e torna-se complicado instala-lá.

Ponto 3. Não quero que o senhor se ponha aos gritos na rua. Se conhecesse a minha casa via que isso não era necessário, visto que as janelas da cozinha (por exemplo) fica dois metros acima do portão.

Ponto 4. Faça o favor de ir chamar idiota a alguém que conheça. Eu não insultei aqui ninguém e não admito que me insultei a mim.