quinta-feira, julho 30, 2009

Fiquei a modos que assustada…



Eu sou uma rapariga que adora ver documentários, sejam sobre História e suas personagens (que até são os meu preferidos) ou sobre a natureza e respectivos animais. Não costumo perder um, dai que mal chegam as 20h30 mudo para a RTP2 para ver Samantha Who e depois o meu documentário :-).

Ontem o tema foi o aquecimento global e confesso que fiquei a modos que um bocadito assustada. Durante todo o documentário foi-me dado a ver as possíveis consequências que podem advir do aumento da temperatura média. Os cenários iam correspondendo a diferentes aumentos de temperatura, ou seja, o que ocorreria se a mesma aumentasse 1 grau, 2 graus e assim sucessivamente, até chegar a um aumento de 6 graus.

Dito assim não parecer que as consequências sejam muito graves pois não? Afinal 1 grau, 2, 3 ou 4, parecem não ser nada de especial. Mas enganam-se, pois este aumento pode trazer-nos consequências irreversíveis.

As calotes polares estão a derreter a velocidades nunca antes vistas, as estações do ano já não são o que eram, as tempestades estão a ficar mais violentas, o nível da água do mar está a subir. Dentro de 50 anos, segundo percebi, a face do nosso planeta está irreconhecível se não agirmos depressa. Londres, Nova Iorque, Veneza e outras cidades desaparecerão debaixo de água (se as calotes polares derreterem o nível da água poderá subir até 7 metros), a Amazónia não passará de um deserto inóspito. E pergunto o que nos irá acontecer sem o pulmão do mundo?

Os cientistas disseram que se a temperatura média tiver uma subida de 6 graus, isso poderá significar o extermínio total. Ou seja, o fim do mundo e da nossa espécie.

E de quem é a culpa? Nossa, pois claro. Não me estou a referir só a mim, ou a ti ou a ti que lêem este blogue, mas a toda a Humanidade. Fomos nós todos que provocámos isto. Se calhar ainda não temos bem a noção da grande alhada em que nos metemos. Ainda temos ar puro para respirar, água doce para beber, espaços verdes por onde passear… Mas por quanto tempo?

Eu preocupo-me com o ambiente claro, mas nunca fui muito acérrima na sua defesa. Tal com todas pessoas cometo as minhas irregularidades. Mas aquele documentário assustou-me um grande bocado e prometo que a partir de agora vou ter mais cuidado com as minhas acções. Nem que ela passe por desligar a luzinha vermelha de TV para esta não consumir energia. Temos de começar por algum lado e até isto pode fazer a diferença…

3 comentários:

Saga disse...

O problema é que não adianta de nada começares a tomar precauções se mais ninguém te segue o exemplo.

Nês disse...

Também vi esse documentário e fiquei realmente assustada...ai ai onde nos estamos a meter, tenho medo :S

Aninhas disse...

Nês...

Olha que não sei!!! Muitas pessoas ainda não perceberam que só temos este planeta para viver e que uma vez sem oxigénio, água potável, comida o dinheiro não vai servir de nada...

Bjx