domingo, julho 26, 2009

Friendship... What is that?



A amizade é semelhante a um bom café: Uma vez frio, não se aquece sem perder bastante do primitivo sabor. (Kant)

Comparar a amizade com um café pode parecer-vos um pouco estranho, mas acreditem que escolhi esta frase por um bom motivo.

Uma vez, ouvi de uma suposta amiga minha, que sair à noite para tomar café é uma questão de amizade. Ouvir isto fez-me fazer uma careta e pensar: “mas que significado é que esta pessoa dá ao termo amizade?”, “será que a maior parte das pessoas pensa assim?”, “será que as pessoas pensam que amizade se resume ao facto de sairmos uns com outros para tomar um copo, termos 2 dedos de conversa de vez em quando?”.

Afinal de contas o que é um amigo? É alguém que sai connosco todos os dias ou, por outro lado, alguém que, apesar de não vermos frequentemente, transmite-nos a certeza de que quando precisarmos será o primeiro a aparecer? Quando se passa o limite de mero conhecido para amigo? O que despoleta essa mudança?

Eu não sou uma pessoa que tem muitos amigos. Tenho muitos conhecidos sim, pessoas a quem digo “Olá! Como estás? Há tanto tempo que não te vejo. Que tens feito?”. Pessoas com quem posso tomar um café de vez em quando e partilhar dois dedos de conversa, mas nada mais que isso. Pessoas que com quem travei conhecimento ao longo da minha vida, na primária, na secundária, na faculdade. Mas de todas elas ficaram poucos amigos.

Da primária, ficou uma, a R., que já não vejo desde que saí de Lisboa acerca de 18 anos, mas que, no entanto, considero uma grande amiga. Comunicávamos por carta, às vezes por telefone, perdemos o contacto por uns anos e depois retomámo-lo de novo. Ela está longe, mas sei que se precisar dela ela lá estará.

Da secundária, ficou a C., a minha prima querida. Alguém que é muito especial para mim. E se tenho saudades dos tempos do secundário, grande parte das mesmas devem-se ao facto de ela existir. As nossas peripécias, os nossos disparates, as idas às piscinas no Verão, os almoços em casa dela, as conversas até às tantas da madrugada, os códigos de linguagem que usávamos para falar de rapazes para eles não se aperceberem que era deles que falávamos, a viagem a Lorett… :-) Agora, também não a vejo muito. O trabalho dela é complicado, toma-lhe muito tempo. Mas adoro-a e sei que se precisar ela estará ao meu lado dando-me toda a força do mundo.

Da faculdade não sobrou ninguém, por incrível que pareça. Tinha um grupo de amigos razoável. Éramos 7, incluindo eu. Mas o grupo desfez-se. Não vale a pena contar o porquê da separação. Digamos apenas que foi necessário chegar à faculdade para conhecer crianças. E como eu estava a tirar Comunicação Social e não Educadora de Infância fartei-me de tanta criancice. Eram as mesmas pessoas para quem sair à noite para tomar café era sinónimo de amizade. Mas esperem, engano-vos… Da faculdade realmente saiu um grande amigo, o meu namorado, que me compreende e que está sempre ao meu lado.

E claro, não podia esquecer a Gabi :-p Uma amizade que nasceu de uma maneira muito pouco comum, mas que está a dar frutos.

Como vêem não tenho muitos amigos. Na verdade, contam-se pelos dedos de uma mão. No telemóvel tenho 119 contactos e desses só 4 considero amigos verdadeiros, aqueles que quero preservar para sempre ao pé de mim.

11 comentários:

Hermione disse...

amigos poucos mas bons é que se quer :D li uma vez algures que nao se pode ter muitos amigos. pq a amizade e um sentimento tao intenso que nao da para muitas pessoas :) besso

Aninhas disse...

Hermione...

Gostei desa frase... "a amizade e um sentimento tao intenso que nao da para muitas pessoas"... :-p

Bjx

Diabo de Mulher disse...

Fizeste-me chorar com este post.
O meu conceito de amizade é muito reduzido.
Tenho poucas pessoas que posso considerar verdadeiros amigos.
Neste momento a única pessoa que aliás posso chamar de melhor amigo é a pessoa com quem vivo junta: o meu namorado!
Que partilhamos as alegrias e as tristezas.
Tenho conhecidos que ficaram do secundário, e dos lugares onde trabalhei, mas são apenas conhecidos! Nada de uma amizade completa!

Rosie Dunne disse...

tambem tenho muito poucos amigos a quem posso chamar verdadeiramente Amigo. mas esses quero preservar

Gabi disse...

É bem verdade miga, a nossa amizade surgiu de forma invulgar, mas a verdade é que nos temos dado e entendido muito bem! És uma boa amiga e fico contente pela amizade que partilhamos.
O meu sábio anjinho sempre me disse, "Amigos verdadeiros na vida encontramos no máximo uns 2 ou 3!" e eu acredito plenamente nisso...
[Engraçado, da universidade também não me ficou nenhum...nem namorado (ainda bem...um namorado de tão longe,não obrigada!! dispenso scalabitanos)..eehhehehe]
beijinhos

Saga disse...

Simplesmente digo "casssstigo"... ;)

*

Aninhas disse...

Diabo de mulher...

Fiz-te chorar? É a primeira vez que alguém me diz isso acerca de um post que escrevi :-p Mas, fico contente por o meu texto te ter tocado de algum modo :-p

Bjx

****

Rosie Dunne...

Poucos e bons não é? :-)

Bjx

****

Gabi...

Também estou muito contente com a amizade que estamos a desenvolver :-p Seja assim por muitos anos...

Bjx

****

Saga...

Chuak :-p

Ruthy disse...

Bem amiga aqui estava eu a passear pela blogosfera, a actualizar as minhas leituras por alguns blogs (é com muito prazer que incluo o teu na minha lista de leitura), quando me deparo com este post. Sabes bem que concordo contigo nestas relações de vida que são as amizades, por vezes encontramos muitas pessoas que consideramos amigos e depois (por uma razão ou outra) sentimo-nos desiludidos ao descobrirmos que não é bem assim!

Quanto a nós as duas, a nossa convivência diária infelizmente não durou muito tempo mas houve dois momentos que me marcaram para sempre...

- Um belo dia a caminho da escola com a minha mãe fomos assaltadas, roubaram a carteira da minha mãe quando eu fingia estar a dormir para brincar com ela. Senti-me culpada e assim que cheguei à escolinha contei-te o que se tinha passado muito tristemente e tu sorriste para mim, abraçaste-me e disseste que não me podia sentir assim pois só estava a tentar animar a minha mãe com uma brincadeira!

- No dia em que me disseste que ias morar para longe lembro-me de ter ficado uma infinidade de tempo a pensar o que é que a tua mudança ia mudar entre nós... e depois fiquei triste, fartei-me de chorar por causa disso mas felizmente com o tempo percebi que a nossa amizade resiste à distância, ao tempo e a muito mais!

Depois disto tivemos momentos de maior proximidade, outros de maior afastamento mas a verdade é que sempre nos acompanhámos e assim espero (e acredito) que continue a ser!

"Todas as pessoas que passam pelas nossas vidas deixam as suas marcas num ir e vir infinito. As que permanecem é porque simplesmente doaram os seus corações para entrarem em sintonia com as nossas almas!"

Beijinhos grandes desta amiga desde quase sempre e para sempre
Rute*

Aninhas disse...

Ruthy...

Desse episódio do assalto não me lembro :-p Mas daquele de te ter dito que me ia mudar sim... Também fiquei triste por ir para longe, mas fico muito contente por ver que a nossa amizade resistiu à distância...
És uma amiga no verdadeiro sentido da palavra :-)

Bjx gandx***

Nês disse...

Por acaso tenho muita gente a que posso chegar de amigo...este 10º ano foi abençoado, talvez por todos os outros anos antes em que tinha só gente, gente daquela em que chamavamos amigo por aparência e que nos "lixava" mal pudesse...

Aninhas disse...

Nês...

Olha que não é só no secundário que os supostos "amigos" nos lixam mal têm oportunidade... Na faculdade também! Da faculdade não ficou nenhum amigo por isso mesmo... Desconheciam o significado do conceito amizade... Enfim...

Bjx