quinta-feira, janeiro 21, 2010

Obras à português…


O português tem muitas qualidades, mas não podemos negar que também tem muitos defeitos… E é com cada um que valha-me Deus! Ora deixa tudo para a última da hora, ora chega atrasado, ora fala-fala-fala e depois não faz nada… Mas o melhor, o melhor mesmo do português é quando chega a temáticas das obras…

Vá-se lá saber porquê, mas as obras deixam sempre assim um pouco a desejar, imperfeitas… As casas, passado pouco tempo, ficam com rachas nas paredes, as estradas ficam esburacadas… Isto quando levam as obras até ao fim.

E porque é que resolvi falar disto? No caminho para Viseu passa-se por uma estrada (havíamos de passar por onde também) que estava toda esburacadinha. Um perigo para as suspensões dos carros portanto. Pouco antes de começarem as eleições, deu-se início às obras de requalificação da estrada. Fecharam-na, como e óbvio, pois a mesma estava intransitável. No entanto, fizeram um desvio por outra que passava no meio de uma aldeiazinha.

Até aqui nada de anormal… Um belo dia de chuva (sim, porque sol ultimamente nem vê-lo) lá fomos nós até Viseu (já nem sei fazer o quê) e a estrada já estava aberta, mas pelo sim pelo não, escolhemos ir pelo desvio… Mas, na estrada de desvio, havia outro desvio, porque a estrada do desvio, agora, também estava em obras, toda cheia de buracos. Fomos pelo novo desvio e fomos dar à estrada inicial (aquela que já estava aberta) pensando, ingenuamente, que já estaria devidamente arranjada e alcatroada. Oh santa ingenuidade… Tinha mais buracos que um pano de ponto-cruz, mais água que uma piscina olímpica, mais terra que um campo agrícola e mais lama que uma pocilga…

Mas então, começam-me obras numa estrada fazendo o desvio para outra secundária… Depois começam obras nessa outra, fazendo desvio para a principal que agora está ainda pior do antes das obras. Começam uma coisa sem acabarem outra… E o carro da minha mãe é que se lixa, tadito, que anda ali ao solavancos…


E já não falo naquelas obras que não têm utilidade nenhuma,
que só servem para deitar dinheiro pela janela
que são autênticos elefantes brancos...
Bem dizem que Portugal vive acima das suas possibilidades...


E lá parece que hoje saiu um texto minimamente sério...

8 comentários:

Saga disse...

Faz-me lembrar uma obra aqui à minha porta, numa estrada. Inicialmente era para ficar de uma maneira; depois atrasou-se; acabaram por alterar o projecto; no final, nem sequer ficou completo.
Conclusão, sobrou uma avenida às curvas, sem zonas de sombra, com passeios parciais, inexistência de espaços verdes e alguns acessos estranhos...

**

Aninhas disse...

Saga...

Se aquilo fica assim dá uma impressão muito má... Tanto querem fazer que não fazem nada...

Cambada de paspalhos...

Bjx

Suspiro disse...

Perdi-me após a 1ª estrada em obras ;) é o país que temos! beijocas

Olhos Dourados disse...

Realmente não tem muita lógica.

Martinha disse...

acho que sei de que estrada falas... está uma tremenda confusão está :/

Aninhas disse...

Suspiro...

Pois é, infelizmente :)

Bjx

****

Olhos Dourados...

Nenhuma mesmo...

Bjx

****

Martinha...

Não sei se será a mesma... Mas que aquilo está um degredo está :)

Bjx

Green Eyes disse...

OK, eu venho destabilizar um bocadinho (espero que não te zangues ;))

As estradas estão assim que é para prevenir os acidentes por adormecimento ao volante, além disso torna-se mais aliciante fazer o percurso tipo gincana :):)

beijinhos
óbvio que acho que tens razão ;)

Aninhas disse...

Green Eyes...

Para dar a sensação que estamos assim num Rally Dakar? :P

Bjx