quinta-feira, janeiro 21, 2010

Em ponto de ebulição…


Tenho que me acalmar se não um dia destes ainda expludo de vez. Tenho que respirar fundo, bem fundo e contar até 10 para não começar a gritar em alto e bom som. Pode ser que a gritar alguém me escute, em vez de só ouvir, e me compreenda, pois, parece que, por mais que eu explique, ninguém me entende.

Estou farta que opinem sobre a minha vida. Estou cansada que arranjem soluções sem pés nem cabeça que em vez de solucionarem a minha vida, só a iriam complicar. Estou farta que perguntem se eu já estou a trabalhar. Estou farta que me digam para fazer isto, para fazer aquilo, para me inscrever nesta ou naquela empresa como se eu fosse uma inútil e não soubesse procurar emprego por mim mesma. Mas eu sei-o. Sei-o e muito bem.

Estou farta que digam “ela que envie o CV para lá que tenho lá conhecidos e posso dar uma palavrinha”. Já disse imensas vezes que sou, totalmente, contra as cunhas, mas parece que ninguém entende. Sei perfeitamente que já me passaram à frente por terem factor C. Não sou ingénua ao ponto de pensar o contrário.

Conheço as minhas capacidades melhor que ninguém. Sei bem do que sou capaz de fazer e do que não sou. Conheço-me bem, ou pelo menos tento. Mas se há coisa que não sou é hipócrita. Não sou daquele género de pessoa que diz uma coisa e faz outra, que defende uma determinada posição e pratica exactamente o contrário. Sou apologista da máxima “não faças aos outros aquilo que não gostas que te façam a ti”.

É por ser assim que me recuso a ter um emprego através de cunha. Quero que reconheçam o meu valor, que apostem em mim porque têm confiança em mim, no meu carácter, nas minhas capacidades, na minha pessoa. Por quem eu sou e não por quem eu conheço ou deixo de conhecer. É uma questão de orgulho. Muitos podem achar que é um orgulho parvo, idiota, que devia pô-lo de lado. Mas eu, infelizmente ou felizmente, não penso assim. Talvez um dia pense de maneira diferente, talvez não. Mas o agora é que importa. O que quero agora. O que sinto agora. O hoje. E hoje eu sou assim… Quero sentir-me realizada e plena. Quero puder dizer que conquistei o meu espaço, o meu lugar, sozinha, com o meu esforço, o meu trabalho. Quero puder dizer: “Foi difícil. Custou-me horrores. Ouvi muitas coisas que não cria ouvir… Ouvi muitas críticas… Mas mesmo assim continuei fiel a mim mesma. Não desisti. Fui à luta e consegui… Sozinha. Com o meu suor, mas consegui e estou orgulhosa disso”.

No entanto, ninguém compreende este meu ponto de vista. Estarei sozinha? Estarei errada em ser assim? Quero pensar que não. Quero acreditar que não.

Querem que eu vá para ali, para acolá mas ninguém pensa no que eu quero. Ninguém pensa no como eu quero fazer as coisas. Dizem-me que assim não vou longe. Ninguém pensa nas coisas como elas são. Nos prós e nos contras. Ninguém é racional, ninguém quer fazer coisas com pés, cabeça, tronco e membros… Querem somente que eu vá e as faça, mesmo sem meios para o fazer. Que me desenrasque é o lema.

Ninguém pensa no que já fiz, onde já fui, nas cartas que enviei, nas horas que passo à procura, nas respostas negativas que já tive. Ninguém pensa no como eu me sinto. Na angústia que vai dentro do meu peito, nas incertezas que povoam a minha cabeça, no sentimento de impotência e de injustiça que sinto. Momentos há em que me sinto uma inútil, com as mãos presas atrás das costas e os pés atados, o que me impede se de seguir em frente. Nessas alturas só me apetece desistir, deitar a tolha ao chão e gritar ao mundo que desisto… que desisto de ser feliz.

Mas sabe-se lá de onde, volto a ter forças de novo e rebento as cordas que me amarram e volto a erguer-me e a tentar de novo. A lutar… A lutar por um futuro melhor. Mas a incompreensão daquelas pessoas que deveriam ser as primeiras a dar-me a mão, a entender-me, a apoiar-me deixa-me frustrada, angustiada e, principalmente, decepcionada… Sei que só querem o melhor para mim mas, em vez de críticas, seria tão bom ouvir elogios de vez em quando. Sentir-me apoiada.

Ninguém aplaude o facto de eu ser assim…

10 comentários:

mjf disse...

Olá!
Nos dias de hoje és uma especie em vias de extinção!!!!
mas não te deixes corromper pelo sistema.

Beijocas

Lia disse...

eu percebo o teu ponto de vista! mas tb sabes que por seres assim, honesta e integra, os outros te passam à frente!
Há pouco emprego e a maioria desenrasca-se como pode!

eu nunca tive um emprego por cunha mas não sei se me aparecesse uma vaga num colégio eu a recusaria...não tenho a tua força!

pepita chocolate disse...

Minha querida, também não sou a favor das cunhas. também eu cheguei onde cheguei sem cunhas. e sei de algumas pessoas que tu fizeram e continuam a fazer, para que não cresça pelas minha próprias mãos.

No entanto, já nem as cunhas são como antigamente, pelo que me apercebo. para te dizerem que podes contar com a tal cunha, é porque acreditam que não os vais deixar mal. julgas que se cede assim uma cunha a qualquer um? As cunhas agora são dadas a quem é fiável, que não deixa ficar malquem pediu para ti!

Não vais deixar de ter de provar aquilo que vales. Muito pelo contrário! Vais ter que provar que merecias o lugar, com ou sem factor C.

Pensa nisso sobre outro ponto de vista, e se algum dia realmente passares pela situação, vais perceber que o factor C, não é o único a pesar para que fiques no emprego.

E sabes, às vezes é válido o ditado que diz, se não consegues vencê-los, junta-te a eles. e eu acrescento, mas mostra-lhes o que vales! E vales muito, certamente!

Beijoca e espero que tudo corra bem! Correrá certamente, seja qual for a tua decisão!

Aninhas disse...

mjf...

Vou tentar...

Bjx

****

Lia...

Eu também seu que isto está difícil... Mas custa-me tanto deixar este princípio para trás.

Bjx

****

Pepita chocolate...

Seria assim... Se as pessoas que dizem à minha mãe que podiam dar uma palavrinha a X ou a Y me conhecessem verdadeiramente... O que nem é o caso...

Pelo que já vi aqui as cunhas continuam iguais... O valor da pessoa não importa, se trabalha bem e é confiável... Isso vem em segundo plano. Aqui ainda é assim...

Bjx

Olhos Dourados disse...

Eu também passei por isso e sei que não é facil.

Aninhas disse...

Olhos Dourados...

Não é mesmo...

Bjx

Saga disse...

Eu aplaudo-te por seres assim e por continuares a ter força mesmo que não existam razões para isso. Aplaudo-te por conseguires aquilo que eu não consigo - acreditar.

**

Aninhas disse...

Saga...

Tenho que acreditar, pois se não acreditar... Capufff..

Bjx

Magdix disse...

É bom ler as tuas palavras, relativamente a este tema... Deve ser difícil encontrar alguém que pense dessa forma.. No entanto, visto que somos da mesma área, devo dizer que as coisas não andam fáceis... Estou a trabalhar em algo que não gosto e não me canso de sonhar com o dia em que as coisas vão mudar e vou acordar cheia de vontade para mais um dia de trabalho... Só não sei é se esse dia vai chegar com o meu esforço ou se vai surgir com uma mãozinha... Vamos indo e vamos vendo... O desespero às vezes muda as nossas opiniões...
*

Aninhas disse...

Magdix...

É verdade, isto na nossa área não está nada fácil... Eu até vejo alguns anúncios, mas ora são para estágios curriculares ou pedem sempre experiência na área...

Eu por enquanto não estou a trabalhar, mas já não procuro só na nossa área... Mas noutras.

Vamos ver se com o tempo as coisas melhoram :)

Bjx