quarta-feira, fevereiro 24, 2010

Não, não mudava nada!



Parece que este anúncio anda a incomodar meio mundo e a deixar o outro meio perturbado... Para quem ainda não o viu, o tema central é "E se o teu pai fosse gay, mudava alguma coisa?", que tem como principal objectivo promover a tolerância e diminuir a discriminação por quem tem uma orientação sexual diferente.

Devo dizer que gosto bastante do anúncio e que acho que está sensacionalmente bem feito. E antes que venha por aqui alguém perguntar se por acaso a minha mãe é lésbica, avanço já que não. Mas e se fosse? Mudava alguma coisa? Não, não mudava. Descobrir, no início, poderia resultar num choque, pois não é uma notícia que se esteja preparado para receber. Não é a mesma coisa que dizer: "Olha filha, não gosto de pão com queijo". No entanto, isso iria mudar o respeito, o amor, a admiração que sinto pela minha mãe? É claro que não ia, nem iria alterar o facto que ela é a minha mãe. Seria sempre a minha mãe!

Há quem diga que este anúncio é uma pouca vergonha e tudo mais quanto são adjectivos pejorativos. Mas eu tenho que dizer que vergonha tenho eu! Vergonha de viver num país onde as mentes são tacanhas, retrógadas e nada tolerantes para com a diferença.

Eu gostava de saber desde quando ser homossexual é sinónimo de ser menos humano, de ser pedofilo, de ser anormal, ser mau cidadão, ser mau pai ou má mãe. Gostava mesmo de saber onde está escrito que só um homem e uma mulher podem constituir uma família. Adorava saber quando é se associou a rectidão de carácter e cidadania à orientaçao sexual de cada um. Mas ainda gostava mais de saber porque dizem que um homossexual é menos capaz de educar uma criança que um hetero. Que eu saiba para educar uma criança é preciso amor, carinho e paciência. Ou será preferível os orfanatos continuarem cheios de crianças que não conhecem a definição de lar?

12 comentários:

Anónimo disse...

Estava antes escrito na lei que família seria homem e mulher. é claro que muda sempre. a criança pode ser muito educada pelos pais mas vai sempre sofrer com isso.

Ana Sofia Sousa disse...

Vivemos numa sociedade que ainda pensa de um modo muito pequeno :(
Dizemos que damos a liberdade e que somos liberais, mas no entanto são muitos os que cont a apontar a homosexualidade como uma doença e algo repugnante!
É simplesmente diferente do que fossos sempre ensinados...mas sras e srs está na altura de integrar essa diferença na nossa sociedade e torná-la igual!
São pessoas como os outros todos...que respiram, sentem, vivem...só que têm uma orientaçao sexual diferente. Que mal tem isso?! Só porque vai contra tudo o que foi escrito até há uns anos?! Evolução de mentalidades sabem o que é?! :/
Estou cansada e triste de ver tantas injustiças e discriminaçoes :(
E se me perguntam se sou lésbica por esta aqui a defender os seus direitos...respondo que não, só que acredito nos direitos e deveres da humanidade...acredito que podemos viver em harmonia e que não há diferenças entres as pessoas...
Beijo***

Anne disse...

A família pode ser muito mais que o convencional e o "correcto". gostava de saber se alguém consegue definir o que é correcto ou não.
além disso, como tão bem disseste minha linda, o amor não escolhe raça, credo ou sexo. O amor existe em várias formas e nunca NINGUÉM poderá definir o que é o amor.
e comparar a homossexualidade com a pedofilia ou assegurar que se está a um passo do incesto consentido (como muitos dizem) é uma das coisas mais escabrosas e sem fundamento que já ouvi.
muito bom texto linda.

Aninhas disse...

Anónimo...

As coisas não devem ser feitas às três pancadas... Tem que ser feitas aos poucos para que os mais retrogados vão interiorizando a ideia! As crianças, no inicio, talvez devessem ser seguidas por um psicologo... Mas é preferivel do que ficarem num orfanato toda uma vida.

Bjx

****

Ana Sofia Sousa...

Eu acho que quando mais avançamos no tempo, mais retrogado o ser humano fica sabes?

Afinal de contas a homossexualidade não é nada recente. Não houve um dia em que um homem, ou uma mulher, acordou e disse "vou ser homossexual"... A homossexualidade já existe desde o tempo dos Gregros e Romanos e não era vista de forma repugante, nem como nenhum distúrbio como é agora. Muito pelo contrário, era aceite com naturalidade... A Igreja Católica é que veio condenar esta orientação...

Enfim... Pode ser que um dia as mentalidades mudem.

Bjx

****

Anne...

É verdade... Já ouvi com cada disparate em relação a este assunto que só de pensar fico com os nervos em franga. Se há coisa que não suporto é o preconceito injustificado.

Um homossexual é tão humano e tem exactamente os mesmo direitos que nós heterosseuxuais.

Bjx

Patrícia disse...

É sempre diferente. Nós, numa fase inicial e hipotética respondemos que não tem qualquer problema, mas a verdade é que teria.

Aninhas disse...

Patricia...

Para ti talvez tivesse... Mas para mim não! A minha mãe nunca deixaria de ser a minha mãe, nem nunca iria desvalorizar tudo o que ela fez por mim... O amor dela por mim e o meu por ela nunca iria mudar, até porque a pessoa que ela é iria ser a mesma.

Bjx

Anónimo disse...

Por acaso gosto bastante deste anúncio! Dou valor às publicidades bem feitas, mas as publicidades institucionais são fantásticas na sua maioria! Está muito bom! Também há outro engraçado, para alertar o uso de preservativo que também mostra um casal homossexual! Quanto à nossa sociedade não me vou alargar com isso, porque não vale a pena...:S

Aninhas disse...

Anónimo...

Sim, eu conheço o tal anúncio a que te referes. Também acho que está muito bem conseguido. Há até dois anúncios diferentes com casais homossexuais.

A única coisa que não gostei foi terem excluido os casais heterossexuais, pois dá a entender que só os homossexuais têm comportamentos de risco, o que não corresponde à realidade. O mais correcto teria sido colocarem dois anúncios: um com um casal gay e outro com um casal hetero.

Bjx

Olhos Dourados disse...

Sim, antes ter pais com uma orientação diferente do que simplesmente não ter ninguém.

Saga disse...

Está fantástico este anúncio. Não sei é se ele vai resultar, pois este país e a maioria dos seus habitantes não é capaz de o entender.
Também não tenho pais gays e claro que será mais fácil para mim dar uma opinião, estando fora do contexto. Mas não posso deixar de a dar. E continuo a não perceber o porquê da intolerância do nosso povo para com uma orientação sexual diferente... Eu acho que as pessoas que têm algum problema com isso é porque não definiram ainda a sua própria orientação e receiam por alguma espécie de contágio...

**

Aninhas disse...

Olhos Dourados...

É a minha opinião pelo menos.

Bjx

****

Saga...

Ora aí está uma ideia interessante: quem é tão intolerante com a diferença de orientação sexual de outrem é porque ainda não se auto-definiu (se assim podemos dizer)...

Bjx

PoesiaMGD disse...

Concordo que o necessário é mesmo amor e carinho! Tens toda a razão, são bem piores os orfanatos e instituições!

http://www.escritartes.com/forum/index.php?referredby=3