quinta-feira, fevereiro 10, 2011

...


"Idosa estaria morta em casa há nove anos

A PSP encontrou ontem no chão da cozinha de um apartamento na Rinchoa, em Rio de Mouro, concelho de Sintra, o corpo de uma mulher que deve ter falecido há já nove anos, sem que o seu desaparecimento tenha sido detectado.

A mulher, que no próximo Sábado completaria 96 anos, estava desaparecida desde Novembro de 2002 mas nunca foram feitas diligências no sentido de se descobrir o seu paradeiro.

Ontem, a PSP entrou no apartamento a mando da nova proprietária que comprou o imóvel num leilão realizado pelas Finanças. Além da idosa também o cão, a sua única companhia, estava morto na varanda." (In DN)

Histórias como estas [porque, infelizmente, está não é única e nem será a última] chocam-me. E chocam-me para além do imaginável. Será que estamos a perder a sensibilidade? Será que o sentimento de solidariedade está cada vez mais desvanecido das nossas mentes? Será que preocupação com o próximo está a ser substituída pelo egoísmo e egocentrismo? Será que estamos tão concentrados em nós mesmos, focados só no nosso umbigo que não nos damos conta do que se passa à nossa volta?

Uma senhora idosa "desaparece" de um dia para o outro e ninguém faz nada. A senhora devia receber reforma, caramba. Será que a Segurança Social não se apercebeu que a mesma não era levantada? Um apartamento gasta água, luz, gás... Será que nenhuma instituição se lembrou de iniciar uma investigação de forma a tentar averiguar o porquê de a senhora ter deixado de pagar as contas de um momento para o outro?

E o cão? Será que ninguém achou estranho o cão ladrar dias a fio pelo facto de ter fome e sede? A minha cadela quando fica sem água na tacinha e tem sede ladra imenso, e não se cala enquanto não a enchermos de novo.

Não compreendo. Não compreendo mesmo.

4 comentários:

tavares disse...

Também fiquei chocada com a noticia.
Beijinhos

Meio Cheio disse...

Vivemos todos tão focados na nossa vida e nos nossos problemas que por vezes a um metro de distancia temos alguem a sofrer ou neste caso, morto...e não temos ideia. Na mente de muita gente o que dá trabalho torna-se "normal" para não dar trabalho a nós, alguém virá pensam sempre. Ai humanidade pobre esta

teardrop disse...

É um mundo cada vez mais vazio este que habitamos... Fiquei muito triste com essa notícia. Ninguém dar pela falta de uma pessoa é algo que nos devia deixar a pensar!

Miss Crises disse...

Pois, eu também acho estranho uma situação destas.