terça-feira, abril 26, 2011

...


Não sei qual é a definição de amizade que as pessoas que conheço têm, mas não é a mesma que a minha. Isso é uma certeza...

10 comentários:

Denise disse...

Subscrevo por baixo.

Ultimamente ando mesmo magoada com uma "amiga" que, assim que a sua vida ficou maravilhosa e deixou de precisar de mim (ajudei-a a dar um grande passo na vida), deixou de me falar, de responder às sms, de se lembrar do meu aniversário... O habitual cliché, pronto. Somos familiares mas isso não é razão para se deixar de falar assim pois eu sempre a vi como uma boa amiga. E o mais engraçado é que até os meus próprios pais menosprezam o meu sentimento e dizem que é normal ela reagir assim e que com o tempo as pessoas acabam por se desinteressar dos amigos. Até fico parva quando oiço estas coisas; eu pelo menos não me lembro de alguma vez me ter desinteressado dos meus amigos.

Para mim, amizade implica reciprocidade; quando ajudamos um amigo, não estamos à espera que ele nos fique grato para toda a vida, isso não interessa, não queremos um "pagamento"; esperamos é que ele esteja connosco quando nós precisamos e que continue a apoiar-nos. Enfim, eu tenho cada sorte com as pessoas que me rodeiam que só visto. :S

bjinho e desculpa lá este testamento!! :P

Artemisa disse...

Denise...

Isso não são amigos... Eu começo a chegar à conclusão que os amigos que tive [grande parte deles] foi por interesse, mas enfim...

Bjs**

Denise disse...

Infelizmente não são mesmo.

O melhor de tudo é que ela vai casar e eu, como familiar, fui convidada. Só me apetece mandar esse casamento pras urtigas, mas não ir parece mal. O que é tu farias na minha situação?

Jedi Master Atomic disse...

Artemisa -> As amizades na maior parte das vezes são, de facto, feitas por interesse. Seja por interesse financeiro, sentimental, ou outro qualquer.

O que os pais ali da Denise disseram, embora seja frio, representa muito da realidade. Quando as pessoas "assentam", começam a concentrar-se na sua vida e deixam os amigos de lado. Não estou a dizer que isso é o correcto, apenas que é o que acontece, de facto.

Todos conhecemos aquele "amigo" que quando arranja namorada, desaparece do mapa e quando se separa, liga-nos constantemente. Cabe a nós chamar-lhe a atenção a isso.

Artemisa disse...

Denise...

O facto de ela ser familiar não ajuda. Não é que por ser familiar tenhas de aturar tudo o que ela te faça, não é isso, mas torna as coisas uma pouco mais complicadas.

No entanto, se fosse a ti ia ao casamento. Eu acho que as acções ficam com quem as pratica e acho que vais ficar com a consciência tranquila se fores ao casamento. É como se fosse um encerrar de história percebes?

Vais ao casamento, desejas as maiores felicidades e apartir dali encerras o assunto. Segues a tua vida e ela segue a dela.

Bjs****

Denise disse...

Foi um bom conselho, obrigada. Vou é sentir-me uma grande cínica ao desejar-lhe as maiores felicidades. :/

bjinho

Artemisa disse...

Não precisas de ser cínica. Procura dentro de ti a senceridade.

Eu desejo sinceramente que as pessoas que me fizeram mal sejam felizes e encontrem a paz. Desde que claro o caminho delas nunca mais se cruze com o meu. :P

Bjs

Denise disse...

Gostava de conseguir ser assim mais sincera. Mas não consigo desligar o sentimento de mágoa e isso acaba por reflectir-se nas minhas acções.

Artemisa disse...

Eu antes também não conseguia... Até ao dia em que me chatei de ficar triste e a sofrer por pessoas que não mereciam.

Então eu sofria, ficava magoada e pensativa por uma pessoas que não me ligava nenhuma e não queria saber de mim e que naquele exacto momento podia estar a rir a divertir-se? Claro que não... Ela que seja feliz no caminho que escolheu que eu também vou ser. :)

Denise disse...

Então acho que estou no bom caminho, pois estou na fase em que ando a questionar-me: se os outros me magoam, porque é que tenho de estar sempre a sentir-me triste com o que eles me fizeram?
Ainda é difícil não me sentir triste e amargurada de vez em quando, mas com o tempo talvez isto melhore e eu deixe de me preocupar tanto. Mas já noto que isto me faz ter menos confiança nas pessoas, tentar não me envolver muito e andar sempre com um pé atrás.
Vão existir sempre pessoas que nos vão magoar; temos é de saber proteger-nos. :)