domingo, agosto 09, 2009

O mapa da vida…



Depois de tantos posts colocados neste meu cantinho, às vezes faltam-me ideias de temas sobre os quais escrever. Hoje estava com um bloqueio desses. Queria escrever qualquer coisa, mas não me lembrava de nada interessante. (É que hoje apetecia-me escrever sobre algo sério.)

Mas, é quando menos esperamos que nos surgem as ideias. Esta surgiu de uma conversa que tive com a minha melhor amiga. O tema é: as decisões que tomamos e os caminhos que escolhemos ao longo da nossa vida.

Imaginem um mapa de uma cidade. Um mapa cheio de ruas, de avenidas, de jardins, de parques e de becos sem saída. Cada um de nós encontra-se num extremo desse emaranho de vias. Esse extremo é o inicio da nossa vida. No outro extremo está o terminus da mesma, mas para lá chegarmos temos que seguir o mapa, escolher que caminhos queremos seguir, em que jardins queremos parar… Enfim, temos que escolher o caminho que melhor se adequa a nós, temos que tomar decisões, as nossas próprias decisões. “Vou para a esquerda ou para a direita?”. É algo que só nós podemos decidir.

No entanto, surgem situações, ou pessoas, na nossa vida que influenciam as nossas escolhas, para o bem ou para o mal. Se for para o bem, tanto melhor, mas se for para o mal podemos dar por nós num beco sem saída e ficamos perdidos no mapa da nossa vida. E, às vezes, nem as melhores bússolas do mundo nos conseguem colocar no caminho certo de novo.

Quantos de nós já não pensaram “o que teria acontecido se eu tivesse feito aquela viagem?”, “o que teria acontecido se eu tivesse aceite aquele trabalho?”, “como estaria eu agora se ainda namorasse com aquele fulano/fulana?”, “que estaria a fazer se tivesse concorrido para esta ou aquela universidade?”, “que me teria acontecido se tivesse optado por outro caminho?”. Todos nós já pensámos sobre isto nalgum, ou nalguns, momentos da nossa vida.

Está na nossa natureza questionarmo-nos a nós mesmo. :-)

Mas, o facto de não termos ido para aquele lugar, ou não termos feito aquela coisa seja mau. O facto de os nossos planos mudarem, assim de repente, não é algo de horrível, pois isso pode dar-nos novas oportunidades de conhecermos coisas novas, pessoas novas, e talvez de encontrarmos a felicidade mais cedo do que estávamos à espera.

E vocês? Seguiram pelos caminhos que tencionavam ou tiveram que fazer um pequeno desvio em algum momento da vossa vida?

13 comentários:

Nadyta disse...

Pois é Aninhas isso é sempre assim... mais cedo ou mais tarde pergunta-mo-nos o que poderia ter acontecido, mas pronto não vale a pena porque já passou e quem sabe se não estaríamos pior.

O importante é pensar no futuro e com os erros aprender a melhorá-lo :)

Beijinhos

Aninhas disse...

Nadyta...

É. Podemos pensar sobre isso, mas não ficarmos presos nesses pensamentos senão ainda ficamos obcecados com isso e deixamos de aproveitar o presente e lutar pelo nosso futuro :-p

Bjx

Rui Fernandes disse...

Eu quero ir para FLUP (Faculdade de Letras da Universidade do Porto)

Eu também adoro televisão e jornal, mas algo dentro de mim, quer que comece numa radio e depois exprimente outras sensasões...

Beijinho

S* disse...

Podemos ter tudo muito planeado, mas ao longo do nosso percurso vamos ser confrontados com pessoas e situaçoes que mudam a nossa forma de vida...

Aninhas disse...

Rui Fernandes...

É uma boa faculdade :-) Se bem que eu não morra de amores pelo Porto :-p

Bjx

****

S*...

É verdade... O caminho que traçamos no início raramente é seguido tal e qual...

Bjx

Asiram disse...

eu cá vou com o vento,

o meu vento são as pessoas que conheço, os meus amigos as minhas aventuras inesperadas do dia-a-dia e claro eu própria...;)

Daniela disse...

É bem verdade.

Eu já fiz um pequeno desvio: mudei de curso. E foi a melhor decisão que tomei.

**

Saga disse...

Eu tenho duas formas de ver as coisas.
A primeira diz-me que os meus caminhos foram, insistentemente, alterados. O meu curso, por exemplo, não constava do meu GPS. Mas a vida fez-me tomar um atalho que fosse dar a essa estrada.
Todavia, prefiro ver isto da segunda maneira possível. Aquela que nos diz que o nosso destino está traçado. Sendo assim, eu nunca alterei o meu caminho. Ele esteve sempre designado desta forma.

Rosie Dunne disse...

eu acho que ao longo da nossa vida vamos sempre fazendo pequenos desvios, mas que, dependendo da pessoa, não se desviam muito do objectivo principal. pelo menos comigo é assim

Aninhas disse...

Asiram...

Desde que te sintas feliz com os caminhos que sejas e que esse vento te leve em boas direcções :-)

Bjx

****

Daniela...

Olha, eu não fui para a faculdade para onde tencionei ir durante uns tempos :-P Apesar de me trazer coisas más essa decisão, também me trouxe coisas boas...

Bjx

****

Saga...

Eu também acredito que nascemos com o destino traçado, mas se tivermos força suficiente podemos mudá-lo :-)

Bjx

****

Rosie Dunne...

Concordo contigo. Apesar de nos desviarmos de vez em quando temos sempre um objectivo principal em mente... Eu tenho um que gostava de cumprir pelo menos :-p

Bjx

Gabi disse...

S antes não acreditava, hoje acredito que tudo acontece por alguma razão! Na altura podemos não perceber o porquê, mas mais tarde e sem esperarmos as respostas aparecem...
(tenho net rápida neste momento :D, até quando durará???)

Nês disse...

Eu acredito que já tenho o futuro traçado, mas muitas vezes me questiono com esse tema..

Aninhas disse...

Gabi...

Concordo contigo :-p

Bjx

****

Nês...

Acreditas no destino portanto? :-) Eu de certa maneira também, mas se não gostarmos do caminho que o nosso destino nos está a traçar, com força podemos alterá-lo...

Bjx